Com a CTX 700N, Honda entre no mercado das cruisers

Honda CTX 700 - Falando de Carro-29

Em um mercado dominado pelas poucas e boas, no qual se destacam motos como a Harley-Davidson Night Rod e a Ducati Diável, a Honda apresenta uma proposta mais voltada ao perfil do consumidor brasileiro, no qual se tem um motor de média cilindrada (categoria que segue ganhando mercado no Brasil) e um preço, digamos, mais acessível. Isso pelo fato do valor dela partir de R$ 32.077,00, já com ABS, o que poderia ser melhor se o modelo não fosse importado.

Por conta do preço, inclusive, a CTX 700N acaba competindo com outros modelos como a Harley-Davidson 883 e a Triumph Bonneville, que são motos menos encorpadas, mas de maior cilindrada. Porém, as 670cc dessa Honda entregam potência de sobra com o ótimo torque máximo de 6,12 kgf.m.

Honda CTX 700 - Falando de Carro

Bom, vamos começar pelo que mais chama atenção na moto, seu design. Os desenhos mais arrojados e modernos, no estilo moto do Batman, são invocados e arrancam olhares por onde passa. O porte de moto de alta cilindrada é um dos trunfos do modelo, assim como a pintura na cor preta fosca, que complementa o estilo da CTX 700N. Até para aqueles que não são chegados em moto estilo custom, essa cruiser pode despertar interesse.

É verdade que o farol dianteiro poderia conversar melhor com o conjunto todo, tanto em design como na própria lanterna, que poderia ser branca ou em led e não amarela. Porém, esses detalhes poderiam encarecer a moto e fugir do propósito.

Honda CTX 700 - Falando de Carro-24

Seguindo no estilo dessa máquina, destaque para a posição de pilotagem, agradável e ereta. De clássico, as pernas apontadas para frente e o guidão largo. Completa o conforto da moto o assento macio e largo, que proporciona relaxamento tanto para o piloto como para o garupa. Destaque também para o escapamento cromado de ronco grave, que ajuda na impressão de moto poderosa.

No motor está um dos pontos fortes do modelo. Se as 670 cilindradas desse motor bicilíndrico de giro baixo não chegam a assustar, o conjunto da máquina entrega uma pilotagem que pode ser ao mesmo tempo dócil e invocada. Troque as marchas com certa rapidez e sentirá o poder que a CTX 700N tem em aumentar sua velocidade de forma muito rápida. Na mão do Falando de Carro, em trecho de pista de teste com velocidade permitida, a moto bateu os 190km/h, porém, sentimos que ainda tinha um pouco mais para entregar.

Honda CTX 700 - Falando de Carro-21

Isso por conta da proposta do modelo, que privilegia o torque. Segundo informações da Honda, a moto tem torque máximo de 6.12kgf.m a 4.750 rpm, além da potência máxima de 47.6 cavalos a 6250 rpm. Esse conjunto, na pilotagem, se reflete em potencia já nas rotações baixas, ou seja, basta bater no acelerador para sentir a resposta e ver o velocímetro subir rapidamente.

O cambio de 6 marchas (curtas) tem engate e embreagem macias, com exceção da primeira marcha que faz um som de engate. O sistema de alimentação é injeção eletrônica, com sistema de partida elétrico e refrigeração líquida.

Seu tamanho não chega a impressionar, mas está longe de ser pequena. Na cidade se comporta bem, inclusive em meio ao trânsito. Na estrada, pode ocupar o centro de uma faixa sem passar despercebida. Com 2.225 mm, a moto é comprida. Na largura, os 855 mm parecem perfeitos para o desenho da moto. O assento da CTX 700N fica a apenas 720 mm do chão, o que possibilita que a moto seja pilotada, também, por motociclistas de baixa estatura.

Honda CTX 700 - Falando de Carro-7

Aliás, sobre a pilotagem, as suspensões, como é padrão da Honda, absorvem muito bem as imperfeições do asfalto, muito por conta da dianteira. A traseira, que é um pouco mais dura, pode ser ajustada na pré-carga. A moto também se mostrou boa de curva, algo que não é comum às cruisers e custons tradicionais.

Na segurança, a CTX 700N tem os eficientes freios ABS de série. Os discos simples na dianteira (320 mm) e na traseira (240 mm) se mostraram muito eficientes durante a avaliação. Inclusive em trechos chuvosos, a moto não escorregou, nem patinou quando teve os freios acionados.

Honda CTX 700 - Falando de Carro-3

Sobre a autonomia, durante nossa semana de avaliação, pilotamos a CTX 700N em trechos urbanos e em estrada. Nos sete dias de teste a moto se mostrou econômica, consumindo em média 24,7 km/l. Seu tanque tem capacidade para 12 litros. E o espaço é dividido com o super funcional porta-luvas. Um compartimento que recebe documento, carteira e celular sem esforço. Muito útil.

O painel de instrumentos digital não traz nenhuma grande inovação. Clássico Honda, mostra velocidade, aceleração, hora e indicador de combustível. Além das informações de km total e de trips. Não possui indicador de marcha. Assim como os últimos lançamentos da Honda, as posições da buzina e do farol alto são invertidas. A moto ainda possui um eficiente pisca alerta, muito funcional em casos de parada.

Honda CTX 700 - Falando de Carro-20

Com todas essas características, entendemos que a Honda CTX 700N é uma moto que tem muito potencial. Se começar a ser montada no Brasil e baixar o preço, será ainda mais competitiva. Com aspecto de moto grande e preço de moto média, essa cruiser é indicada para motociclistas novos ou experientes, mais jovens ou mais velhos, modernos ou tradicionais. Com bom custo x benefício, ela compete em categorias diferentes e pode agradar muitos perfis de motociclistas. Só precisa romper o preconceito de alguns que entenderão os elogios ao pilotá-la.

FICHA TÉCNICA
Motor: Dois cilindros paralelos, SOHC, oito válvulas e arrefecimento líquido
Capacidade cúbica: 669,6 cm³
Diâmetro x curso: 73 mm x 80 mm
Taxa de compressão: 10,7 :1
Potência máxima (declarada): 47,6 cv a 6.250 rpm
Torque máximo (declarado): 6,12 kgfm a 4.750 rpm
Câmbio: Seis marchas
Transmissão final: corrente
Alimentação: Injeção eletrônica
Partida: Elétrica
Quadro Diamante: em tubos de aço
Suspensão dianteira: Garfo telescópico com tubos de 41 mm de diâmetro e 120 mm de curso
Suspensão traseira: Monoamortecedor fixado por links, com ajuste na pré-carga da mola, e curso de 110 mm
Freio dianteiro: Discos simples de 320 mm com pinça de dois pistões (ABS)
Freio traseiro: Disco de 240 mm com pinça de pistão único (ABS)
Pneus: 120/70-ZR17 (diant.)/ 160/60-ZR17 (tras.)
Comprimento: 2.255 mm
Largura: 892 mm
Altura: 1.165 mm
Distância entre-eixos: 1.530 mm
Distância do solo: 130 mm
Altura do assento: 720 mm
Peso a seco: 209 kg
Tanque de combustível: 12,4 litros
Cores: Preto fosco
Preço sugerido: R$ 32.077

Sobre o autor: Victor Peixoto

 

Jornalista, Victor Peixoto conheceu desde cedo o mundo das duas rodas por intermédio de seu tio, Quinho Caldas (Revista da Moto!). Herança essa que fez ele respirar o ar das máquinas mais modernas e potentes (desde o motocross até as esportivas). Além da revista, ele traz influências e conhecimentos de suas passagens pela comunicação da Honda e da Ducati e em 2014 juntou-se ao Falando de Carro para criar o Falando de Moto.

Website: http://www.falandodecarro.com

 

Últimas notícias sobre Avaliação

 

10 Comments

 

Add a comment

required

required

optional


 
 
Image and video hosting by TinyPic
 
 

Vídeos

 
 
 
 

Últimas Avaliações