Nova Toyota Hilux chega ao Brasil a partir de R$ 114.860

Malagrine

A Toyota apresentou a oitava geração da Hilux, com design totalmente renovado e uma lista de equipamentos mais recheada, motores atualizados e novo sistema de tração.

Como podemos ver, a picape segue com as mesmas atualizações já vistas. O modelo é praticamente o mesmo vendido na Europa. Vemos nova frente com grade cromada e faróis de LEDs nas versões mais caras. Na traseira, também percebemos que o modelo cresceu e oferece mais espaço na caçambas.

Por dentro, a nova geração Hilux mudou completamente e mostra avanços. Vemos um novo volante com comandos e console mais moderno inspirado no Corolla e RAV4.

Malagrine

Como fonte de inspiração para a nova Hilux, o time dirigiu em diversas condições possíveis, de uma estrada plana a trilhas mais difíceis. Muitas vezes, encontraram condições mais desafiadoras do que esperavam, o que motivou o desenvolvimento de uma picape ainda mais forte.

Versões

Chassi-cabine 4×4 e câmbio manual; Standard 4×4, nas configurações com cabine simples ou dupla, também com transmissão manual de seis velocidades; SR; SRV; e a novíssima e exclusiva top de linha SRX. As três últimas são equipadas com tração 4×4 e transmissão automática de seis velocidades.

DESIGN EXTERNO

Com um design forte e emocional, a nova Hilux combina a força e a funcionalidade necessárias para o trabalho com a beleza e a elegância desejadas para o uso recreativo.

Comparada à geração anterior, a nova Hilux é 7 cm maior (5,330 mm), 2 cm mais larga (1,855 mm) e 4,5 cm mais baixa (1,815 mm). O entreeixos permanece com excelentes 3,085 mm.

A dianteira mostra contraste entre o grande para-choque e a grade frontal estreita, que parece se fundir aos faróis, formando uma só peça.

Malagrine

Seu aspecto forte é transmitido pelos para-lamas largos, que agora fazem parte do corpo da carroceria, e no movimento expresso pelas laterais da grade superior, que descem pela entrada de ar inferior, criando um desenho trapezoidal.

Para garantir uma aparência mais limpa, a localização dos limpadores e do lavador do para-brisa foi aprimorada, enquanto o intercooler foi deslocado para a frente do motor. Na prática, a entrada de ar do intercooler, antes localizada em cima do capô, foi eliminada. Por falar em capô, a peça recebeu vincos bem marcados e está mais afilada, formando uma junção perfeita com a grade frontal e com o conjunto ótico dianteiro.

Realçando ainda mais o design inovador, a versão SRX é equipada com faróis de LED, com projetor e ajuste automático de altura, além de luzes diurnas de LED. As demais versões estão equipadas com faróis de halogêneo.

Malagrine

As versões SRV e SRX também contam com faróis de neblina.

O design lateral destaca a força e a elegância pela extensão dos para-lamas, que se mesclam perfeitamente com o restante do carro, por meio de um corte transversal, realçado na parte superior das portas. O resultado é o desencadeamento de uma linha dinâmica que vai da parte frontal para a traseira, integrando a caçamba ao restante do veículo.

A versão SRX é equipada com novas rodas de liga leve de 18 polegadas e com pneus 265/60R18, enquanto as versões SRV e SR trazem rodas de liga leve de 17 polegadas e pneus 265/65R17. As outras possuem rodas de ferro de 17 polegadas, com pneus 225/70R17.

Malagrine

O design traseiro completa o conjunto elegante e forte da dianteira e lateral. Destaque para o novo grafismo das lanternas verticais. As versões SR, SRV e SRX contam com a maçaneta de abertura da tampa cromada, onde também está localizada a câmera de ré, proporcionando à nova Hilux uma aparência mais fluida. O para-choque foi projetado para melhorar a acessibilidade à caçamba, e é cromado nas versões SR, SRV e SRX.

O formato do teto da nova Hilux possui dois vincos que ajudam a direcionar a passagem de ar para fora da área da caçamba, tornando o veículo mais estável.

Comparado à geração anterior, o compartimento de carga nas versões cabine dupla está 0,5 cm maior (1,525 mm), 2,5 cm mais largo (1,540 mm) e 3 cm mais alto (480 mm). Da mesma forma, a fim de fornecer aos clientes maior durabilidade e resistência, o apoio da tampa da caçamba está equipado com placas de aço, em vez de fios.

Malagrine

Nas versões SRX e SRV, um friso metálico horizontal cruza o painel de instrumentos de ponta a ponta, integrando as zonas de informação (painel de instrumentos) e operação — controles do ar-condicionado e do sistema de som e navegação. Este item, aliado a outros detalhes, tais como a iluminação na cor azul do painel de instrumentos, cria uma atmosfera elegante e funcional.

Com excelente mistura entre aderência e funcionalidade singular, o novo volante se destaca por sua espessura, garantindo ao motorista a empunhadura correta e acesso aos controles de volume ou do telefone, presentes nas versões a partir da SR.

Referente aos equipamentos, desde a versão de entrada, a nova Hilux conta com direção hidráulica progressiva, ar-condicionado, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, medidor de economia de combustível, aviso sonoro de chave na ignição e luzes acesas, limpador do para-brisa com temporizador e nivelador dos faróis.

Malagrine

Vidros com dispositivo antiesmagamento, travas e retrovisores elétricos estão disponíveis a partir da versão SR, sendo que nas SR e SRV, os vidros possuem função um toque para subida e descida. A SRX oferece esta mesma funcionalidade para os vidros das quatro portas, e se destaca pelo Smart Entry System, que permite, por meio de uma chave inteligente, desbloquear as portas com a simples pressão do botão na maçaneta. Também foi adicionado o botão Push Start, facilitando a operação de ligar e desligar o veículo.

Os engenheiros da Toyota têm prestado atenção especial ao design da chave inteligente da versão SRX, focando em seu estilo e formato e considerando o peso e a qualidade dos materiais utilizados.

Malagrine

Nas versões SR, SRV e SRX, o volante traz as funções do áudio, telefone e comandos de voz, para que o motorista possa realizar todas as operações sem tirar as mãos dele.

Somado a esta comodidade, as versões SRV e SRX possuem controle de velocidade de cruzeiro.

Outra novidade é o display colorido de 4,2”, localizado no meio do painel de instrumentos, entre o velocímetro e o conta-giros, que equipa as versões SRV e SRX. Dentre as funções disponíveis, destacam-se as informações de fácil leitura do áudio, do sistema de navegação ou da performance de pilotagem. Por exemplo, o indicador “ECO” é uma função que avalia o desempenho da condução e ajuda a reduzir o consumo de combustível.

A versão SR também conta com um display de múltiplas funções, porém um pouco menor e em tela preto e branco.

As versões SR, SRV e SRX possuem um dispositivo de áudio ligado à uma tela touchscreen de 7”, com funções de DVD, MP3, entrada auxiliar de vídeo e seis alto-falantes, e que fornece informações de consumo de combustível e da câmera de ré, para facilitar manobras de estacionamento.

Malagrine

As novas Hilux SRV e SRX também contam com navegador GPS e TV digital.

Nas versões SRV e SRX, a Hilux vem com sistema de ar-condicionado automático digital de design renovado, que inclui saídas de ar para os bancos traseiros, ampliando ainda mais o conforto dos passageiros. Na nova Hilux SR e Standard cabine dupla, o ar-condicionado é analógico.

As versões SR, SRV e SRX possuem porta-luvas refrigerado.

As Hilux SRV e SRX trazem uma inovação que, sem dúvida, é de grande utilidade para os clientes: uma tomada de 220 v, que pode ser usada para carregar celulares, computadores portáteis, câmeras fotográficas e de vídeo, entre outros aparelhos.

Na nova Hilux, as partes laterais dos bancos dianteiros são feitas de um material mais resistente. As versões SR, SRV e SRX tiveram o ajuste do banco do motorista aumentado, chegando a 6 cm.

Malagrine

Para aprimorar o espaço e o conforto dos passageiros dos bancos traseiros, o espaço para os joelhos foi ampliado em 3,5 cm.

As versões SR, SRV e SRX possuem apoio de braço com dois suportes para copos na parte de trás e bancos traseiros bipartidos em 60/40, facilitando o transporte de itens grandes dentro da picape.

Sem descuidar da força e da confiabilidade, a nova Hilux tem configuração de suspensão aprimorada – independente com braços duplos triangulares, molas helicoidais e barra estabilizadora, na dianteira, e eixo rígido com molas semielípticas de duplo estágio, na traseira, proporcionando uma dirigibilidade ainda mais confortável, reduzindo vibrações ao rodar em pistas irregulares em baixas velocidades, e ondulações, em média e alta velocidades. Esta nova configuração melhora consideravelmente o conforto, a níveis somente percebidos, até agora, em outras categorias de veículos, como os utilitários esportivos.

Para conseguir este feito, elevou-se o tamanho das molas longitudinais (de 1,300 mm para 1,400 mm) e alterou-se sua posição, diminuindo as vibrações transmitidas por estradas irregulares. O diâmetro dos cilindros dos amortecedores também foi melhorado, para evitar pequenas vibrações.

Malagrine

A espessura da barra estabilizadora foi aumentada, e as molas longitudinais da suspensão traseira foram realocadas 50 mm em direção às extremidades laterais, melhorando a estabilidade em curvas, principalmente quando a picape estiver carregada. Ao mesmo tempo, o novo chassi não só aprimorou a estabilidade, mas o conforto na condução, diminuindo o ruído e a vibração transferida do chão para a cabine.

Quanto ao isolamento acústico, o ruído da combustão e as vibrações do novo motor diesel foram reduzidos. Dentre outras medidas adotadas, o painel de isolamento do som do motor também teve seu tamanho ampliado em 50%. Além disso, foram desenhadas novas mantas isolantes para as portas, diminuindo os sons que vêm do ambiente externo.

Novamente, a Toyota, por meio da evolução da engenharia, quebra barreiras nesta nova geração de motores. Além disso, o conjunto motor-transmissão atinge o equilíbrio perfeito entre torque, potência e economia de combustível.

A equipe de engenharia desenvolveu um novo motor turbo diesel com intercooler, pertencente à recém-lançada série Global Diesel (GD). Juntamente com a melhora no consumo de combustível, o aumento do torque é a característica mais marcante do propulsor, o que se reflete na melhoria excepcional de aceleração, em baixa e média velocidades.

Malagrine

O desempenho foi aperfeiçoado com a melhoria da eficiência dos sistemas de injeção e de admissão. Por sua vez, o peso do motor foi reduzido, incrementando o consumo de combustível e diminuindo a fricção das partes mecânicas. Como já é tradição nos motores da Toyota, este utiliza corrente, em vez de correia dentada, o que reduz os custos de manutenção.

O Toyota 1GD 2.8L possui quatro cilindros em linha, com turbo compressor de geometria variável (TGV) e intercooler. Mesmo com 200 cilindradas a menos do que o Toyota 1KD da geração anterior, esta evolução melhora o nível de consumo e desempenho, já que tem 6cv a mais (177 cv a 3.400 rpm) de potência. Com relação ao torque, houve aumento de 22% na picape com transmissão manual (42.8 kgfm entre 1.400 e 2.600 rpm) e um aumento de 31% na versão com transmissão automática (45.9 kgfm entre 1.600 e 2.400 rpm).

Os dados de consumo que serão informados pelo INMETRO são: 9,03 km/l em trecho urbano e excelentes 10,52 km/l em uso rodoviário, para a picape automática. Para a nova Hilux com transmissão manual, os resultados são ainda melhores: 9,3 km/l e 11,5 km/l, respectivamente.

Transmissão

Malagrine

A nova transmissão automática de seis velocidades, que equipa as versões SR, SRV e SRX, foi desenvolvida para potencializar o desempenho do motor. A nova relação de marchas está ajustada para privilegiar arrancada mais vigorosa em primeira marcha, e elevar a economia de combustível em sexta.

Esta nova transmissão de seis velocidades traz a tecnologia Super ECT, que adequa o desempenho do veículo ao estilo de condução do motorista, quantidade de carga à inclinação do terreno.

As versões Standard, nas configurações com cabines simples e dupla, e chassi-cabine trazem uma nova transmissão manual de seis velocidades, apropriada ao propósito de uso, que é, prioritariamente, o trabalho.

A capacidade de reboque da Hilux foi melhorada e pode suportar até 3,5 toneladas, com trailer, dependendo da versão.

Relação de Marchas – Hilux Automática (6 velocidades)

O ECO suaviza a aceleração, adequando o curso do pedal do acelerador a uma condução mais econômica e, ao mesmo tempo, dosa o funcionamento do sistema do ar-condicionado.

No modo Power, o motorista pode aproveitar uma direção mais vigorosa, pois o mecanismo realiza um ajuste fino da ECU do motor, de acordo com o ângulo do pedal do acelerador, proporcionando respostas mais rápidas. Este modo de condução é ideal quando o condutor enfrenta situações de ultrapassagem ou ainda quando o veículo transporta cargas pesadas por longos percursos ou aclives acentuados.

Outras partes da picape também foram redesenhadas para aumentar a durabilidade. O novo protetor de cárter, item de série em todas as versões, foi ampliado em relação à geração anterior. A sua espessura também foi elevada, oferecendo mais resistência aos impactos e diminuindo o risco de quebra ou dano.

A evolução no sistema de suspensão não privilegiou somente o conforto ao dirigir e a estabilidade, mas também aprimorou a experiência off-road do veículo. Além de ter modificado as dimensões e a localização de algumas peças, como as barras longitudinais e os amortecedores, a Toyota elevou a articulação das rodas traseiras para 520 mm cada.

Nas versões SRV e SRX, a nova Hilux está equipada com o assistente de partida em rampas (HAC), dispositivo que melhora a experiência off-road e facilita as manobras em subidas, acionando os freios automaticamente em uma posição de parada.

A SRV e a SRX também trazem o controle de tração ativo (A-TRC). O equipamento previne saídas laterais, aplicando pressão automática nos freios de qualquer uma das quatro rodas que podem estar perdendo aderência, transmitindo, assim, mais torque à roda oposta, o que garante a correta operação na tração do veículo.

Outro dispositivo de série, presente em todas as versões, é o bloqueador do diferencial traseiro. Quando ativado, o sistema permite que as duas rodas traseiras girem na mesma velocidade, aproveitando-se de todo o torque disponível, facilitando as manobras para que a picape saia de alguma situação adversa.

A versão SRX conta agora com o assistente de controle de descida (DAC). Em uma descida muito íngreme, quando o freio motor não é suficiente, pode-se ativar este sistema em um botão no painel. Automaticamente, a pressão do freio é enviada às quatro rodas, mantendo o carro sob controle, e fazendo com que o motorista se preocupe somente em mantê-lo alinhado.

Preços

  • HILUX 4X4 D/C SRX 2.8 TDI 6 A/T R$ 188.120,00
  • HILUX 4X4 D/C SRV 2.8 TDI 6 A/T R$ 177.000,00
  • HILUX 4X4 D/C SR 2.8 TDI 6 A/T R$ 162.320,00
  • HILUX 4X4 D/C STD 2.8 TDI 6 M/T R$ 130.960,00
  • HILUX 4X4 D/C CABINE SIMPLES 2.8 TDI 6 M/T R$ 118.690,00
  • HILUX 4X4 D/C CHASSI 2.8 TDI 6 M/T R$ 114.860,00

Sobre o autor: Renato Maia

 

Jornalista, Renato Maia é apaixonado por carros e tecnologia. Nascido no ABC paulista, ele respirou o ar das grandes montadoras que atuam na região, como Volkswagen, Chevrolet, Ford e Mercedes, que fazia o garoto de São Bernardo se encantar por automóveis. Logo a vontade de juntar o jornalismo e carros foram se aproximando, e em 2011 ele criou o Falando de Carro.

 

Últimas notícias sobre Toyota

 
 

Add a comment

required

required

optional


 
 
Image and video hosting by TinyPic
 
 

Vídeos

 
 
 
 

Últimas Avaliações